quinta-feira, 13 de abril de 2017

¿Hablas español? Colonia del Sacramento!



Pois é, faz um bom tempo falei um pouco sobre a minha viagem à Buenos Aires nesse post aqui. Agora uns dois meses depois vou falar da continuação dessa viagem maravilhosa por um pedacinho dessa América do Sul



Saímos de Buenos Aires dia 10 de janeiro, com destino à Colonia del Sacramento, que fica no Uruguay. É logo do outro lado do Rio da Prata, bem pertinho, só que não tanto. Fomos de Seacat até lá, que é uma das empresas que fazem essa travesia, se eu não me engano foi a mais barata que achamos para fazer esse percurso, que dura em torno de uma hora, mais ou menos. Outra empresa bem famosa é a Buquebus, acabamos voltando com ela pra Buenos, no percurso vindo direito de Montevideo de ônibus e pegando logo em seguida o ferry. Os preços variam muuito da época, é bom comprar com antecedência! Tivemos algum problema com o cartão de crédito mas, depois de algumas tentativas acabou dando certo só lá no terminal mesmo. 

domingo, 22 de janeiro de 2017

¿Hablas español? Buenos Aires!

¡Pero que no! xP Mas fui visitar os hermanos mesmo assim! 


  Faz taanto tempo que não falo sobre uma coisa que realmente amo aqui: viagens e viagens e viagens. Porém, contudo, entretanto, comecei o 2017 com o pé direito! E bota direito nisso! 
  A única coisa que queria nessas férias era arejar a mente, e como tinha economizado uma graninha, já com esse objetivo... Bora aproveitar a promoção de passagens pra Argentinaaa! Eeee! 
  Pois é, saí do aeroporto de Florianópolis/SC no dia 07 de Janeiro de 2017, às 09:45 de uma manhã nublada, e cheguei ao Aeroparque de Buenos Aires às 10:55 de uma manhã ensolarada e muito, mas muito quente! 
  Fui acompanhada do meu querido primo que me aguentou (porque não é fácil) durante 8 longos dias. Apesar de ter parecido muito menos tempo. 
   Ok, vamos aos detalhes! 
   Viajamos com a Aerolineas Argentinas, buscando na internet achei muitas reviews bem ruins sobre a empresa, até a classificando como uma das piores empresas aéreas do mundo. A experiência que tive na verdade foi muito boa, uma das melhores com as quais já viajei, de longe muito melhor do que as low costs europeias. 
    Saímos adiantados do Brasil, assim como saímos adiantados de Buenos Aires na volta. O voo foi super tranquilo, como pegamos a volta com escala em Mendoza, foram três lanches, e achei-os bem válidos! O café da manhã tem bolos e bolachinhas, o almoço é um snack, mas muito bom, e a janta me surpreendeu, dois sanduíches muito bem apresentados! Ainda dava pra despachar bagagem e levar mala de mão. Pra quê melhor? Nota 10 pra empresa! :) 

Cara de quem não dormiu e tava com preguiça de passar make! :P

sábado, 31 de dezembro de 2016

Olá 2017!


   Nessa última semana estive pensando muito no que eu quero para o próximo ano. Na verdade, essa coisa de ano novo é um tanto quanto superestimada. Afinal, quando eu acordar amanhã, vai ser um dia igual a todos os outros, não é como se alguma mudança realmente fosse acontecer, o mundo vai continuar girando, dando mais uma volta em torno do sol, e a vida vai continuar, como sempre (se o apocalipse não chegar hoje, claro). Mas, mesmo assim, as nossas esperanças são de alguma forma recarregadas nesse dia. Como se fizéssemos um backup de todas as coisas ruins. Voltamos com uma energia renovada, novas metas, novos objetivos. E era sobre esses objetivos que tenho pensado constantemente. 
   O ano de 2016 deveria ser o ano da minha formatura na faculdade, contudo, com o intercâmbio e ainda mais a transferência da faculdade, acabei atrasando em um ano e meio, e, como minhas amigas se formaram, e eu fui na formatura, que era pra ser a minha, eu acabei ficando um pouco deprimida, pensativa... De alguma forma, me deu mais folego apesar de tudo, pois acho que não estou preparada para ser uma bacharela em direito, ainda preciso fazer muito mais coisas, e, infelizmente, acho que agora é que tenho maturidade para concretizar essas coisas (ou espero que eu tenha).  
  Muitas pessoas dizem que esse ano que passou foi péssimo, um dos piores anos eveer. Mas não acredito que foi tão ruim, tirando algumas coisas. A minha avó descobriu um câncer, mas ela também venceu ele. Eu comecei numa faculdade nova, me senti muito sozinha, mas acabei conhecendo muitas pessoas legais. E a melhor coisa mesmo, do ano todo, foi o trabalho. Nunca pensei que iria me sentir tão bem em estar estagiando, mas realmente gostei, principalmente das pessoas incríveis que conheci lá. 
   Mas voltando a 2017, risquei as metas (vamos deixar a meta aberta) e deixei só os objetivos, meio vagos, meio soltos. Eu ainda nem os escrevi em algum lugar pra deixar registrado. Mas o que eu realmente quero nesse ano é estar mais aberta às pessoas, às ideias, às diferenças. É me dedicar muito mais aos meus sonhos mas não pensar tanto assim no futuro. É me preocupar menos com as coisas que não posso mudar e fazer o que eu puder para mudar aquilo que posso. 
  Enfim, espero que todos tenham um 2017 cheio de amor, amizade e alegria, com muitos sonhos concretizados e objetivos alcançados, e, claro, muitas e muitas viagens. Feliz 2017! 

segunda-feira, 7 de março de 2016

O que é a felicidade?


Felicidade é estar realmente presente: enxergando, sentindo, ouvindo o mundo ao nosso redor. É quando todas as moléculas do nosso ser se abstraem da tensão cotidiana. É quando o cérebro para de pensar e passa a apenas observar, a mente se acalma e a alma fala. São momentos em que nosso coração acelera, o ar entra no pulmão e purifica nossa alma. O sentimento de paz toma conta do nosso corpo e os olhos lacrimejam. A vontade de sorrir assoma nossos lábios e tudo parece certo, perfeito, em sincronia. Olhamos ao nosso redor e vemos as coisas com um véu de luz que faz as cores ficarem vivas e vibrantes, os pelos dos braços se arrepiam com a emoção de se sentir, finalmente, vivo. 


  Hoje pela manhã fui levar minha mãe para um curso numa cidade próxima a minha, e voltando sozinha, me deparei com um momento incrível. Simples, mas incrível. Foi um momento de felicidade completa, veio do nada, quando eu vi, estava ali, no meu coração, inundado por uma paz estonteante. Eu estava dirigindo, ouvindo (pasmem) Where Are Ü Now do Justin Bieber (!!!), o sol da manhã estava baixinho no céu refletindo todo aquele verde ao meu redor. Não tinha mais nenhum carro na estrada, nem na minha frente, atrás ou na direção contrária: eu tinha todo aquele aslfato pra mim. Aquela luz tão bonita, aquele sentimento de liberdade, me fez sentir tão... ali. Eu estava completamente presente naquele momento, não pensava em mais nada, não sentia mais nada, apenas aquela paz imensa invadindo meu corpo. E foi aí, e só aí, que eu percebi que a felicidade é um momento. Um momento ínfimo, curtíssimo, mas perfeito. 
   Não que eu nunca tenha sentido isso antes, eu só nunca tinha percebido o quanto são raros, e o quanto são preciosos. Me fez perceber que eu tenho que prestar mais atenção à esses momentos, são eles que nos fazem seguir em frente, buscar nossos objetivos, por que no final de todo objetivo alcançado, um momento desses nos espera. E quando esquecemos que ele existe, todo o sentido de sonhar e realizar se perde no caminho. 
    Obrigada mãe, por me fazer acordar cedo pra te levar. Eu precisava redescobrir esse momento na minha vida.